Para o topo
Sensibilidade sempre
/SBHansenologia
/todoscontraahanseniase

não é associado?
Botão Associe-se
campanhas

Campanha #TodosContraaHanseníase

Campanha #TodosContraaHanseníase

 

Abaixo todos os links da campanha

- Cartilha da campanha para download 
- Cartilha da campanha para leitura 
Fanpage da campanha - Curta e dê seu depoimento
Mascote “Profi" PNG
- Mascote "Profi" JPG
- Logomarca da campanha PNG
Logomarca da campanha JPG 
- Logomarca da SBH
Podcast da campanha
Vídeo da campanha 
(Faça o download do vídeo, clicando aqui)
- Vídeo da campanha sem som horizontal - 13 segundos (Faça o download do vídeo, clicando aqui)
- Vídeo da campanha sem som vertical - 13 segundos (Faça o download do vídeo, clicando aqui)

A SBH lançou, em 2015, a campanha TODOS CONTRA A HANSENÍASE, em Ribeirão Preto-SP. O objetivo é abrir um canal de diálogo maior com a comunidade, em todo o país, para orientar sobre a doença.

Em 2016, o Ministério da Saúde oficializou o mês Janeiro Roxo para ações de alerta e conscientização sobre a hanseníase.

A SBH, desde 2015, vem ampliando a campanha Todos Contra a Hanseníase, com veiculação do vídeo educativo em horário comercial de TVs em todo o país, veiculação de mensagens educativas em painéis luminosos das concessionárias de rodovias em vários estados brasileiros, estações de trens e metrôs, além de ações em universidades, empresas, unidades de saúde, praças públicas, escolas de ensino fundamental e médio etc.

A hanseníase coloca o Brasil em segundo lugar em número de casos, atrás apenas da Índia. A SBH pede esforço dos formadores de opinião para que divulguem a campanha e informações sobre a doença, além de adotarem o laço roxo como sinal de alerta contra a doença no mês de janeiro e compartilhar a hastag #todoscontraahanseniase .

Cenário da hanseníase no país

Por ano, cerca de 30.000 novos casos de hanseníase são diagnosticados no Brasil - número próximo às notificações de casos novos de HIV e AIDS. A SBH estima que o país tenha, na realidade, de três a cinco vezes mais casos da doença, que é subdiagnosticada. São vários os motivos que levam a isso: a doença foi esquecida, as universidades deixaram de abordar a hanseníase na formação dos profissionais de saúde, a doença é confundida com várias outras e, por isso, não são raros os casos de pacientes que recebem diferentes diagnósticos por muitos anos enquanto a doença avança. É preocupante o número de diagnósticos tardios no país, assim como o número de casos crianças de até 15 anos - o que indica que a criança está convivendo com familiares contaminados pelo bacilo causador da hanseníase.

Como participar da campanha?

A SBH disponibiliza seu Departamento de Marketing para auxiliar na viabilização de ações educativas para a campanha Todos Contra  a Hanseníase, que acontece durante o ano todo, com ênfase no mês de janeiro. Quem quiser participar só contatar a Texto & Cia Comunicação: (16) 3234.1110.

SAIBA MAIS SOBRE A HANSENÍASE

O que é hanseníase?

É uma doença infecciosa e contagiosa, que afeta os nervos, pode provocar o surgimento de manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele. A pele também pode ter alteração da sensibilidade e o paciente não sentir (ou tem sensibilidade diminuída) calor, frio, dor e mesmo o toque. É comum ter sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades (pés, mãos) e em algumas áreas pode haver diminuição do suor e de pelos. Atenção: o paciente pode ter dificuldades para segurar objetos, pode queimar-se e não sentir ou, por exemplo, perder os chinelos sem perceber. A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular. 

De onde vem a doença?

A hanseníase é causada pelo bacilo Mycobacterium leprae e sua transmissão acontece de pessoas doentes sem tratamento para pessoas saudáveis, pelas vias aéreas superiores (tosse, espirro, fala).

Como é feito o diagnóstico da hanseníase?

O diagnóstico precisa ser feito o quanto antes. A doença pode ser diagnosticada em uma consulta médica em consultório ou ambulatório. O médico analisa lesões na pele com manchas (partes da pele podem não ter sensibilidade) e alterações neurológicas específicas (dormências e formigamentos). O serviço público de saúde em todo o Brasil oferece gratuitamente o tratamento. Importante: todas as pessoas que convivem ou conviveram com o paciente de hanseníase devem ser examinadas.

Hanseníase tem cura?

Sim, a hanseníase tem cura. Quanto mais cedo iniciar o tratamento, menores são as agressões aos nervos e é possível evitar complicações. O paciente em tratamento não transmite mais a doença a familiares, amigos, colegas de trabalho ou escola.

Como são feitos os exames?

Em muitos casos, os médicos dos serviços públicos de saúde especializados em hanseníase podem diagnosticar a doença apenas no exame clínico. Pacientes de hanseníase fazem exame dermatológico e exame neurológico.

Como é o tratamento?

O tratamento da hanseníase é simples. Em qualquer estágio da doença, o paciente recebe gratuitamente os medicamentos para ingestão via oral – os medicamentos inibem os bacilos. O tratamento leva de 6 meses a 1 ano. Se seguir o tratamento cuidadosamente, o paciente recebe alta por cura.

Tem alguma dúvida sobre a hanseníase ou suspeita da doença? Procure seu médico!
 

destaques SBH

PARCEIROS SBH
CRNDSHansen
DAHW
CREDESH Centro de Referência Nacional em Hanseníase/Dermatologia Sanitária

Secretaria e correspondências
Laboratório de Dermato-Imunologia 
Universidade Federal do Pará
Av. João Paulo ll , 113
Bairro Dom Aristides
Marituba-PA
CEP: 67200-000
Tel: (91) 3201-7033

© Copyright 2017 SBHansenologia All Rights Reserve